Depois de Bashô (7)


O prédio
em silêncio: hora de ponta
nos subúrbios

Sem comentários: